setembro 09, 2013

Basicamente complexo


As pessoas complexas, mais tarde ou mais cedo, precisam de pessoas complexas. Na vida, nos relacionamentos. A complexidade é um conceito vasto, subjetivo, decerto, mas o seu contrário traduzir-se-á de uma maneira geral por uma ausência de visão, de compreensão dos fenómenos mais interiores e mais psíquicos. Estamos no oposto de pessoas eminentemente ligeiras, ou áridas, outras, ou toscas, até. Ou seja, as pessoas complexas precisam de quem as entenda, de quem as leia. Torna tudo muito mais difícil mas tudo muito mais aliciante. Porque, sobretudo, mais verdadeiro. A ideia de que queremos ao pé de nós pessoas sempre "bem dispostas" e que debitam banalidades e soluções que fogem ao confronto com a verdade é errada. São ótimas em certos momentos mas não a tempo inteiro. A complexidade é sinónimo de inteligência, na maior parte das vezes. Até de dor. As pessoas simplistas - não simples, é diferente - não sabem ler os complexos. E não sabendo lê-los a partilha nunca é completamente verdadeira. Pode partilhar-se uma vida inteira com alguém, fisicamente, emocionalmente, e nunca chegar à partilha total, à de lá dentro, da alma. As pessoas que não sabem ler os complexos podem ser uma excelente companhia, por várias razões, e péssima, também por outras. Não pode haver verdade sem verdadeiro conhecimento, entendimento do que é o outro na realidade. Mas isto acontece porque as pessoas simplistas também não se conhecem a si próprias. Se o fizessem deixariam de o ser. O conhecimento traz complexidade. Que extraordinário, para o complexo, quando não se tem de explicar. Quando alguém entende, assim, à primeira, sem justificações, nada. Já viu, já percebeu, já sentiu o mesmo. Criam-se laços eternos assim. Que até podem não passar pela partilha da vida, em forma de amizade, amor; os desencontros são muitos, mais do que supomos. Funciona como um íman. A complexidade atrai complexidade. Para quem deseja viver na verdade e não na ilusão. Aquela que é feliz, tonta, falsa. O banal e o óbvio distraem a complexidade mas não a seduzem. Nunca. E, basicamente, é isso.

8 comentários:

  1. Assim como as pessoas inteligentes, mais tarde ou mais cedo, precisam de pessoas inteligentes.
    :)

    ResponderEliminar
  2. My God Faty... somos almas gêmeas... complexas, amiga, parece-me! Similarmente complexas. continuas a escrever-me a alma :) Andreia)

    ResponderEliminar
  3. Manuela Veigasetembro 11, 2013

    É verdade, Faty, mas, às vezes, apetece-me ser uma simples "simples".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, entendo perfeitamente. Esse "simples" é bem ... mais simples. :)

      Eliminar
  4. Também, às vezes, me apetece ser simples, básica... de tão complexa que a vida se pode tornar.
    Conexões mentais são raríssimas, mas existem e enchem-nos a alma. :) Marla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tal simplicidade da ceifeira :) Bem mais fácil... Mas a inteligência/consciência podem também elevar o ser humano. Mesmo se com dor - que geralmente é o preço.

      Eliminar