fevereiro 23, 2012

Espanta-me o espírito



O jornal da noite tem destas coisas. Assim de repente, só pelo que ouvi de raspão:

1- Americanos queimam exemplares do corão, inadvertidamente, no Afeganistão.
O não intencionalmente oficial não apaga as fúrias que se seguiram entre as hostes mais radicalizadas.  Que diabo lhes deu para fazerem mais esta (ou terá sido realmente acidental?), sabendo onde estão e mesmo se não lá estivessem. Gostariam que lhes fizessem o mesmo com as bíblias em outro contexto? Já estou a ver manifs de cristãos horrorizados em plena NY.

2 - Nome de bloco/escola de samba que vence o Carnaval despoleta violência em sambista(s) perdedor(es).
No Brasil colorido impossível de não amar, o mau perder de alguém criou uma confusão tal que atos violentos foram a consequência que não tem nada de festa. Carnaval, sim, mas isto leva-se a mal. O Brasil não merece este tipo de propaganda carnavalesca. E saber não ganhar é, em todo o lado, um sinal mais.

3- Na Síria dois jornalistas ocidentais são mortos nos bombardeamentos que não cessam.
Destruição total, escombros, mortes, e tudo continua igual há meses. Que raio de alianças políticas vão por esse mundo. Lealdades e cumplicidades incoerentes, inesperadas, e pior, cruelmente assassinas. Esquerda, direita, centro, canto, esquina, quero lá saber. Morre-se, impavidamente, no país da milenar Damasco.

8 comentários:

  1. Este "triângulo" mostra bem como o mundo está "redondo" e não tem ponta por onde se lhe pegue.

    ResponderEliminar
  2. Ver as notícias na televisão de uma assentada alimenta a descrença, de facto. Tão bem que se estava no jim jam:)

    ResponderEliminar
  3. Há alturas em que não consigo ver as notícias na televisão -- é demais!

    ResponderEliminar
  4. Pois eu, opto pelo Panda :).
    Concordo, é mesmo demais!

    ResponderEliminar
  5. Carlos, há mesmo alturas em que tb me é impossível e é salutar não o fazer. De qualquer forma, nunca consigo ver um inteiro - 1h e 30m de frenéticas más notícias é por demais deprimente.


    Ana, pois amiga, é um mundo tão melhor (tirando os gormitis e afins, claro, que não gosto nada que o puto goste:))

    ResponderEliminar