abril 25, 2013

Um só dia

Hesitei entre Sophia e Alegre, pois poucos foram, e na minha opinião pessoal, os que escreveram sobre abril como eles. 
São 39 anos. E por muitas promessas que haja ainda por cumprir e sonhos por realizar, há sempre que celebrar. Talvez por isso mesmo. Porque há quimeras e vontades que carecem de concretização, ou porque até já estivemos mais perto de as concretizar. Mas, neste dia, não me interessa particularmente a politiquice, ou não devia interessar. A liberdade é um triunfo e dom maior, a bem de todos e para bem de todos. E desta forma, também, todos a deviam sentir e honrar. A liberdade não tem preço e não devia, sequer, ter cor. 
Mas a palavra a quem sabe, porque, ao contrário de mim, conheceu o antes e o depois.


6 comentários:

  1. Cada vez mais é preciso repetir esse dia.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, são dias e anos num tempo que dói:)

      Eliminar
  2. Um dia de uma história nossa que ainda bem que houve. Haverão mais?...

    Beijinho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que haja... se bem que era melhor não serem necessários.

      Eliminar
  3. Sinto um qualquer conforto por pensar que conheço só o 'depois'. O 'antes', conheço, não porque o vivi, mas através de histórias, noticias, livros e pela boca de quem viveu antes do 25 de Abril.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dessa forma, também eu conheço. Mas não é a mesma coisa. Não sei o que é sentir medo e outras coisas mais.

      Eliminar