janeiro 22, 2013

Sabedorias


Precisamente o que penso. Rico é o indivíduo que viaja pelas fronteiras físicas e espirituais do mundo, que as atravessa e derruba, segundo o tempo que vai sendo e será e as ondas da vontade e da possibilidade. A sabedoria reside no observar, no sentir real, na aprendizagem do que é e como é, sem filtros nem refúgios. Alunos do que não se sabe para verdadeiramente saber.

10 comentários:

  1. Muito bonito e muito a propósito para mim, hoje, que estou particularmente sensível e pensando em todo o tipo de errâncias... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabelinha. Errâncias, que belo conceito :)

      Eliminar
  2. Dois textos que se merecem. Um sorriso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Manuel, outro para si. Bem-vindo:)

      Eliminar
  3. Adoro o novo look. Ainda ontem vinha a pensar que a minha costela moura é mesmo uma costela berbere, ou seja, nómada!

    ResponderEliminar
  4. Já conheces bem o meu lema! Só quem transpõe as barreiras físicas (e espirituais, claro)do seu mundo, em busca de outros mundos, é que poderá entender as sábias palavras de ambos os textos. :) Marla

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ;)Nada dá mais sabedoria do que as experiências pessoais, observação in loco e mergulho no que não se conhece:)

      Eliminar
  5. É preciso viajar, sair de corpo e alma, para saber como é bom voltar a casa......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Voltar a casa diferente porque mais rico, espera-se ... :) Se se volta igual, não se terá apre(e)ndido nada...:)

      Eliminar